Estados Mentais

Entre o passado e o futuro

Texto por Eliana Macedo - PFM Team
Opinião Think Piece
Quinta, 23 de Fevereiro de 2017, 14:03h

O mundo que nos rodeia está a transformar-se profundamente a cada dia. Reacionária por definição, a industria da moda está tentar acompanhar e adaptar-se eficazmente às mudanças. No Porto Fashion Makers, através dos nossos insights, abordamos diversas temáticas que refletem a nossa atenção e preocupação com o que está para vir.

A emergência da economia de experiência, as potencialidades da realidade virtual, o crowfunding, a co-criação e o progressivo desaparecimento dos ciclos de tendências, estações e coleções, são apenas alguns exemplos do que temos vindo aqui a falar.Este mês, no decorrer da Porto Fashion Week, visitamos também o Modtissimo para conhecer a visão da WGSN, a principal agência de tendências do mundo, para a Primavera-Verão 2018.

‘States of Mind’ é o mood geral que une as quatro inspirações principais de consumo que vão ditar as novas tendências na moda e lifestyle.

Neste último relatório, a agência internacional explora a importância da identidade e da originalidade nos dias de hoje, com enfoque no progressivo desaparecimento das barreiras de género, idade e posições geográficas. Entre o passado e o futuro, entre o real e o virtual, partilhamos agora convosco os ‘estados mentais’ que vão delinear o futuro do consumo em Portugal e no Mundo.

 

Slow Futures

Slow Futures é uma tendência que nos faz recuar ao passado para descobrir o futuro. Aqui, a noção de novidade perde importância, em prol do valor da memória. Recusamos o excesso e consumimos menos. Procuramos produtos autênticos, com uma personalidade marcada e acabamentos genuínos. O tempo, que escasseia com o ritmo acelerado das nossas vidas, ganha uma nova relevância e é visto como um novo luxo. A felicidade é encontrada em momentos de abrandamento, e a inspiração nos momentos em que estamos aborrecidos. 

A natureza funde-se com a tecnologia para propor um minimalismo cru.

© Coração Alecrim, La Paz e Nuno Pimenta

Paleta de cores: tons neutros, arenosos e minerais, cores oxidadas e metalizados suaves.

Materiais: básicos, suaves, com acabamentos genuínos.

Formas: volumes estruturais, ombros marcados, mangas muito largas, com inspiração na arquitetura brutalista e no sci-fi de sobrevivência (mad max).

 

Kinship

A evolução da conectividade, seja em comunidades reais ou virtuais, está a resultar na emergência de um sentido de grupo e de partilha. Kinship é a tendência da diversidade, da necessidade de pertencer, do regresso às tribos. Quebram-se barreiras sociais e culturais e a ideias expressam-se sem limites, para qualquer parte do mundo. 

Há menos selfies e mais experiências.

O storytelling ganha, aqui, uma nova importância, como uma necessidade fundamental de conectar emocionalmente os consumidores em volta de uma história história, de um manifesto, de uma origem e significado por trás de cada produto ou projeto.

© Estelita Mendonça, Gur e Reality Studio

Paleta de cores: amarelos, laranjas e rosas exóticos, ausência de tons escuros.

Materiais: rústicos, artesanais, inspirações culturais e tribais.

Formas: rudes, duras e muito trabalhadas, expressam um romantismo masculino.

 

Psychotropical

Com base no crescimento da economia da experiência, Psychotropical estreita as barreiras entre o digital e o virtual para oferecer ao consumidor uma sensação de escapismo inspirada pela natureza.

Temas botânicos e tropicais exuberantes, reinventam-se através de uma linguagem estética psicadélica e digital.

A experiência oferecida pelas marcas é mais procurada e valorizada do que nunca. A realidade virtual proporciona-nos o contacto com novos e fascinantes mundos sensoriais, que se aperfeiçoam progressivamente através do design para aumentarem o nosso nível de pertença neste universo tridimensional.

© Olga Noronha, Marshmallow Feast and Fahr0213

Paleta de cores: verdes e azuis tropicais vibrantes, néons

Materiais: texturas plásticas, orgânicas com aspeto futurista, padrões digitais e alucinogénios. 

Formas: looks sofisticados de qualidade sintética.

 

Youth Tonic

Um tónico de juventude é o ponto de partida desta nova tendência.

Porque juventude não é mais do que um estado mental.

O forte sentido de individualidade e criatividade introduzem-nos a um mundo em que a originalidade e a descoberta são entendidas como a nova medida de exclusividade. Youth Tonic busca na arte, na realidade virtual, no espírito rave dos 80’s e 90´s e no K-pop Coreano a sua energia estética retro tecnológica.

© Thug Unicorn, Vogue Nocturama, Bottega Veneta

Paleta de cores: pastéis ecléticos, verde efervescente, violeta elétrico.

Materiais: materiais inteligentes, nylon, denim, veludo.

Formas: ungender, oversized, detalhes funcionais.

Neste momento de reinvenção e transformação, o papel do consumo e do consumidor, da criação e das marcas, é inúmeras vezes redefinido. Mais do que nunca, é fundamental prestarmos atenção a tudo o que nos rodeia. Desligar do virtual para procurar inspiração, ligarmo-nos a ele para descobrir novas realidades. O paradoxo é a única regra nesta nova fase de fortes indefinições e contrastes.