Ribeira / Massarelos

RIBEIRA

Não será nenhuma surpresa encontrar um verdadeiro nativo junto dos turistas ou, até mesmo, um dandy do século XXI lado a lado com artistas que por aqui se manifestam. A verdade é que este bairro é a verdadeira definição de contraste social! É barulhento, é confuso, é lindo. O rio e a ponte D. Luís enquadram o cenário para uma imagem utópica de uma cidade perfeita. A vista é só capturada no centro da Praça da Ribeira, onde o Cubo é rei, apreciando as controvérsias deste bairro. Além do Cubo, aqui o turista também é rei. Proliferam as esplanadas e as bancadas de produtos regionais, especialmente instaladas para satisfazer a sua sede de consumir tudo o que é local, com Menu estrangeiro.

Ao falar das esplanadas, não nos podemos esquecer que não é só o turista que por aqui se encontra, o nativo, ao avistar o mais pequeno raio de sol, aproveita para dar um ar de sua graça e apreciar a azáfama do turista encantado com a imagem perfeita do Porto.

A atmosfera rústica e moderna da Ribeira inspira o espírito mais particular da cidade, o de profundo orgulho e amor pelo Porto. O sentimento local abre caminho para uma batelada de sorrisos. As cores das típicas casas estreitas pela colina acima inspiram a uma subida pelas originais vielas e locais escondidos. Mais sortudas ainda são aquelas que contam com vista priveligiada para o Douro.

Tão local e, ao mesmo tempo, tão moderno; tão profundamente enraizado e simultaneamente tão recentemente florescido. É, por isso, a zona emergente da cidade - pelo menos é o que as renovações e construções em todas as esquinas parecem querer dizer.

Visitar espaços como Palácio das Artes - a fábrica de talentos -, Palácio da Bolsa - tão executivo - e deambular pela renovada Rua das Flores - sem perder o Largo São Domingos (LSD para os alunos da Escola Superior Artística do Porto) - são programas imperdíveis para quem pretende sentir a nova e vibrante atmosfera que se instalou neste bairro.

É, por isso, que negócios e pessoas, de olhos posto no peso histórico do rio e destas vielas (outrora local de descanso de marinheiros) passaram a fazer deste bairro a sua sede, a sua base. Os novos instalados constroem aqui o seu local de trabalho, de lazer e de inspiração. Intimista, livre e descontraído são palavras que estes locais usam para descrever a sua vivência inteiramente concentrada nesta pequena parte deste bairro.

 

MASSARELOS

A promenade à beira-rio conduz a outra zona deste bairro com um carácter bem diferente, onde o preço por metro quadrado já não é o mesmo dos antigos albergues de pescadores. As vistas priveligiadas sobre o rio continuam. Pelo caminho, encontramos a Alfândega.

Outrora local de paragem obrigatória de mercadorias, hoje local de paragem obrigatória da indústria da moda.

É aqui o palco do maior evento de moda da região, o Portugal Fashion - Porto Fashion Week. Entre os recantos ainda temos o Cais de Pedra, famoso hoje em dia pelo míticas festas populares de S. João.

Para além dos vários locais ribeirinhos, como o restaurante Casa D’Ouro, onde as incríveis vistas sobre o rio podem ser apreciadas, encontra-se a FAUP. Famosa faculdade, que atrai aficionados de arquitectura de todos os cantos, com edificios desenhados por um dos nossos Pritzkers, Siza Vieira. Agora, na Rua do Campo Alegre os avistamentos de nativos do bairro vizinho (Boavista) são frequentes, aqui já se respiram ares de requinte. O Jardim Botânico é também uma referência desta área, pelos seus extensos espaços verdes e pelas contínuas iniciativas especiais que acolhe.

A sinuosa rua que cria o caminho até à Foz do Douro é ocupada pelos joggers que por aqui satisfazem a sua sede de ar livre. O culto do corpo já se começa a fazer sentir.